Ela está a Fim de Mim, e Agora?

Semana passada o Felipe postou um vídeo mais do que épico sobre lindas mulheres e como podemos fazer para não deixar nossas concepções erradas e vindas do condicionamento social ferrarem com a gente. Hoje, quero falar um pouco da situação contrária.

E não, não estou falando de mulheres feias.

Diferente do que muitos caras pensam, as mulheres podem se sentir atraídas de antemão por nós. Pode ser um sorriso bonito, uma postura que passa tranquilidade e confiança – as verdadeiras qualidades de um “macho alfa” são a capacidade de estar calmo em qualquer situação e a assertividade ao lidar com o mundo, mas isso é papo para outro artigo – ou mesmo sua voz.

Pensando bem, pode até ser uma mulher perto de você: amigas, novas conhecidas ou até uma namorada. Mulheres costumam ser extremamente competitivas e estar tranquilo na presença de outras garotas mostra que sua habilidade social é no mínimo acima do comum.

O grande desafio é que, diferente delas, não fomos treinados dese cedo a identificar sinais de interesse e escolher as candidatas que nos atraem. Nós, quando estamos interessados, parecemos pequenos morcegos expostos à luz, tentando voar em círculos e sair do desconforto sem deixar transparecer nosso nervosismo. Ou então assumimos nosso desejo, vamos falar com elas e mostramos nossa personalidade.

As mocinhas têm um ritual diferente. São rainhas na sub-comunicação, especialistas nas entrelinhas e têm a maestria de um agente secreto na linguagem corporal. Olham pra você de forma diferente, piscam, mexem no cabelo, mantêm contato visual, dançam de forma mais fluida, ficam de lado para você, entre outras coisas. O problema é que muitos de nós ou não percebem esses sinais ou os vêem como um aviso de que ela está tentando te conhecer melhor.

Sempre me lembro do discurso de um famoso coach de relacionamentos chamado Adam Lyons, que falava de sua infância. Tinha uma menina que olhava muito para ele. Era aquela época um pouco antes dos rapazes se esconderem com as mocinhas atrás do colégio, mas bem depois da época em que se meninos e meninas odeiam. O pobre Adam, confuso sobre o que fazer sobre aquela menina que sorria sem parar pra ele, foi falar com ela, na presença de suas amigas

“Eca! Ela não vai querer sair com você, Adam! de onde você tirou essa ideia?”

Isso me lembra de uma situação bem diferente, e essa aconteceu comigo. Eu estava saindo com uma amiga e dançávamos com vontade, quando notei uma garota olhando pra mim de um jeito diferente. Ela dançava com um cara alto, moreno, mais forte do que eu, mas não tirava os olhos de mim e sorria muito, mesmo com uma garota dançando praticamente colada em mim. Como eu não tinha compromisso com essa amiga, quando ela quis ir embora a deixei no ponto de taxi e voltei para dentro da festa. Encontrei a moça, dançando com um outro cara, mas ainda olhando pra mim. Em poucos segundos a trouxe para perto, nos apresentamos, descobri que ela morava na Espanha e que estava realmente muito atraída por mim. Na manhã seguinte, acordo com barulhos de mensagem no telefone dela.

-É meu namorado.- Explica a menina

-Como assim? Você sai numa sexta à noite, vai pro motel com um cara que acabou de conhecer e depois fala que tem namorado?-

-Ele vive viajando. Eu preciso de companhia de vez em quando.-

Muitas vezes nossas experiências do passado, mas de um passado bem antigo mesmo, podem moldar nossas atitudes agora. Lembranças ruins dos tempos de escola, falta de carinho dos pais e parentes ou uma infância problemática podem dar a um homem – e a uma mulher também – a sensação de não ser bom o suficiente, não ser digno de alguma coisa. Achamos que se uma garota está “nos dando mole” é porque quer nos usar ou tratar mal, como aconteceu com o jovem Adam.

Não deixe isso acontecer: cuide de si mesmo, faça uma ótima higiene, procure um bom cabeleireiro, faça clareamento dental, se exercite e construa uma aparência e um estilo de vida diferenciados. Mas principalmente, cuide do seu “Jogo Interno”: sua autoconfiança, seu senso de merecimento e sua autoestima.

Entenda que muito mais mulheres do que você pensa vão sentir “algo diferente” por você.

E quando isso acontecer, não se pergunte o motivo. Vai lá falar com ela, sorria, trate-a bem, mostre que o interesse dela foi justo e que ela acertou em se mostrar atraída. Dê a ela uma boa experiência. Lembre-se que a vida é curta e nós temos uma capacidade limitada de aproveitar os momentos que passam. Recompense a atitude, já que não é fácil para uma mulher mostrar interesse por um cara numa sociedade como a nossa. Retribua o favor e pergunte sobre ela, alternando com histórias suas e observações. Tente “ler” a menina um pouco, jogando com as poucas informações que tem e tornando a interação divertida.

Cuide de si mesmo, socialize com frequência, e você vai esbarrar em mulheres que vão se mostrar interessadas. E quando isso acontecer, recompense a atitude.

Gostou do Post? Que tal mais do Johnny no seu email?

Se inscreva na Lista VIP, e receba conteúdos novos, exclusivos e totalmente “fora da caixinha” DE GRAÇA!!

Valorizamos sua Privacidade e não mandamos Spam

A foto de Capa desse Post é do Vladimir Pustovit (Flickr CC). O vídeo no final é do canal Parafernalha.

About The Author

João Victor Pinheiro

Sócio Fundador e C.E.O. da Titan Wings, João Victor é um grande entusiasta da Simpleologia e do Mentoring como formas de transformar objetivos em realidade e um Expert na Sociabilidade.

Leave A Response

* Denotes Required Field